" Uma perda irreparável para a música e para o país" - Leonel Almeida

14 Jul 2013

Para o cantor Leonel Almeida a morte de Bana é " Uma perda irreparável para a música e para o país, sem dúvida. Bana foi para mim um tutor, um verdadeiro amigo, que desde o primeiro momento quis ajudar na minha formação académica. Os caminhos seguiram outros rumos e aprendi muito com ele. Se hoje sou cantor, muito lhe devo".

" Uma perda irreparável para a música e para o país" - Leonel Almeida

Como um dos músicos que o Bana ajudou a lançar e a fazer uma carreira fora de Cabo Verde, Leonel afirmou que na "verdade foi que o Luís Morais convidou-me em São Vicente para a Voz de Cabo Verde; o Bana concordou, dando aval ao processo da minha vinda".

O cantor acredita ainda que "a voz do Bana vai perdurar para sempre. Espero que os mais jovens continuem a aprender a gostar da nossa música como ele sempre fez.

Para o pianista Zé Afonso "é sempre irreparável quando a dimensão humana e artística é a do Bana. Conheci o Bana em Portugal, quando comecei a tocar no Restaurante Monte Cara. Acompanhei-o durante alguns anos e guardo com muito carinho os bons momentos que juntos passámos.

Segundo Zé Afonso Bana foi "um cantor singular, com uma forma genuína de cantar a nossa Morna e as nossas coladeiras, num silabar que só ele sabia e conseguia. Dificilmente igualável no seu crioulo".

Questionados se as próximas actuações seriam em homenagens ao Bana, Leonel respondeu da seguinte forma: "não direi homenagem, mas sim um constante tributo", enquanto que para o pianista Zé Afonso "estaremos constantemente a prestar a devida homenagem ao nosso Bana.

Os dois músicos encontram-se em Angola para concertos e actuações quando receberam a notícia da morte do Bana.

Bana, morreu às 23h00 de sexta-feira, 12 de Julho, no hospital “Beatriz Ângelo”, em Lisboa (Portugal), vítima de doença prolongada.

Hoje, dia 14, o corpo do "Rei da Morna" vai estar em câmara ardente na Igreja de Sagrada Família, em Benfica, Portugal, sendo as cerimónias fúnebres na segunda-feira, dia 15. E, cumprindo um dos seus últimos desejos em vida o corpo de Bana vai ser cremado.