Lura e Tito Paris lamentam morte do "Rei da Morna"

13 Jul 2013

Os cantores Lura e Tito Paris, expoentes máximos do atual panorama musical de Cabo Verde, lamentaram hoje a morte de Bana, considerando que o país "ficou mais pobre".

Lura e Tito Paris lamentam morte do "Rei da Morna"

"Bana é aquela referência de 'voz de Cabo Verde', uma voz muito forte e marcante na casa de todos os crioulos, sobretudo na diáspora", disse Lura, citada pela Rádio de Cabo Verde (RCV), lembrando o "sentimento" que o cantor, falecido sexta-feira em Lisboa, aos 81 anos, punha em tudo o que cantava.

"A voz e o sentimento que punha em todas as mornas que cantava são extraordinários. Bana foi sempre um extraordinário intérprete, sobretudo na interpretação do sentimento cabo-verdiano, que está completamente representado na sua voz", acrescentou Lura.

Lura destacou também a importância de Bana, que morreu vítima de doença prolongada no Hospital de Loures, em Portugal, na preservação dos valores ligados à tradição da música em Cabo Verde.

"Tive na sua última homenagem, e lembro-me que Bana, em vida, foi daqueles artistas que foi alvo de mais homenagens, porque o povo de Cabo Verde sempre teve uma amor e uma devoção enormes por essa grande voz, a primeira antes de Cesária Évora", concluiu.

Tito Paris, um dos inúmeros "afilhados" de Bana, mostrou-se extremamente emocionado, limitando-se a dizer que Cabo Verde "ficou mais pobre" e a destacar a "voz" do "Rei da Morna".

"Não sei como qualificar Bana, com aquele crioulo do Barlavento (São Nicolau, São Vicente e Santo Antão) que ele usa na Morna, que toca no coração de todos os cabo-verdianos", disse.