Bana:“O embaixador da música Caboverdiana”

31 Dez 2011

Adriano Gonçalves, Bana, nasceu no dia 5 de Março de 1932, no Mindelo, ilha de S. Vicente, em Cabo Verde.

Bana:“O embaixador da música Caboverdiana”

Bana veio de uma família humilde e foi a sua voz quem começou a traçar o seu destino. É em Dakar que trava conhecimento com Frank Cavaquinho, Tói de Bibia, Luís Morais, Morgadinho e Jão de Lomba. Mais tarde, formam o famoso conjunto Voz de Cabo Verde, na década de 60.

O grupo rapidamente notou a voz invulgar de Adriano. O músico era dono de uma entoação e postura única.  B.Leza, célebre compositor e poeta, ficou particularmente encantado e apresentou-o numa digressão que a Tuna Académica de Coimbra efectuou por São Vicente.

Foi nos anos 60 que saiu pela primeira vez de Cabo Verd para actuar no Dakar. Aqui começou a somar sucessos através de espectáculos e participações  na Rádio. Bana encontrava-se cada vez mais próximo do seu primeiro disco. No entanto, tinha que conciliar a música com outro trabalho.

Com o grupo ou só, passou a actuar  em Lisboa, nos EUA e na Holanda. A sua vida acompanhava o ritmo da sua carreira musical. Ambas iam-se consolidando. Desta forma, Bana, montou um pequeno negócio de lavandaria no Mindelo, apesar da música exigir viagens constantes.

Bana expande-se numa carreira profissional de grande prestigio o que lhe leva a consumar uma nova aspiração, o ínicio de uma breve experiência na Indústria discográfica Portuguesa começando assim a produzir os seus próprios trabalhos discográficos com êxito, adquirindo 38 registos discográficos (CD's).

Entre as gravações discográficas é convidado a participar em filmes que na época estreou em algumas partes da Europa nomeadamente: Holanda, Alemanha, Itália, França etc., culminando assim a sua popularidade.

Ao abraçar a fama, Bana teve de carregar nos ombros a responsabilidade de não desiludir o seu povo, a sua Terra Natal e os seus fãs que o adoram. Bana é reconhecido pela sua voz potente, sensibilidade, garra e solidariedade.

Ao longo do seu percurso artístico, o cantor, apoiou muitos aspirantes a músicos a tornarem o seu sonho realidade. Bana investiu, apadrinhou e formou músicos conceituados como, Cesária Évora, Tito Paris, Paulino Vieira, entre outros, com menos popularidade.

Ele é visto como o embaixador da música Caboverdiana, por espalhá-la pela Europa e pela África. Bana já foi reconhecido com várias condecorações e homenagens, quer em Cabo Verde, quer no estrangeiro.

SAPO