Bana: Calou-se a voz que cantava Cabo Verde

13 Jul 2013

O cantor Adriano Gonçalves, Bana, morreu às 23h00 de sexta-feira, 12 de Julho, no hospital “Beatriz Ângelo”, em Lisboa (Portugal), vítima de doença prolongada.

Bana: Calou-se a voz que cantava Cabo Verde

O corpo de músico vai estar amanhã, dia 14, em câmara ardente na Igreja de Sagrada Família, em Benfica e as cerimónias fúnebres realizam na segunda-feira, dia 15, segundo informa a Embaixada de Cabo Verde em Portugal. O corpo de Bana vai ser cremado cumprindo o seu último desejo em vida.

Filho mais novo de Vasco Almeida e de Maria Cristina Gonçalves, Bana nasceu a 05 de Março de 1932, em São Vicente.

Começou a cantar ainda muito novo nos botequins do Mindelo, depois em Dacar e em França, antes de fixar residência em Portugal, onde se consagrou como o “rei da morna”.

Nos seus mais de 70 anos de carreira, gravou mais de 50 LP e viajou pelos quatro cantos do mundo a encantar os amantes da música cabo-verdiana.

Bana, com o seu lenço branco na mão, quando apresentava espectáculos, é a imagem mais recente que fica de mais esta voz que se cala para sempre no panorama da música de Cabo Verde, a voz que cantou inúmeros compositores, mas sobretudo deu vida às criações de B.Léza, considerado um dos maiores poetas e compositores cabo-verdianos de todos os tempos.

Dentre a sua discografia, destacam-se “Canto de Amores” (2006), “Livro Infinito” (1999), “Bana – A Voz de Cabo Verde” (1991), “Perseguida” (1989), “Gira Sol” (1988), “Grito d’Povo” (1985), “O Encanto de Cabo Verde” (1982) e “Morabeza” (1981).